Energias Renováveis

Empreendimentos Sustentáveis

O desafio que é de todo o mundo, de promover fontes de energia limpa e sustentável que diminuam a dependência de combustíveis fósseis e estejam acessível para todos, está sendo superado nas comunidades da Amazônia. Com a implantação de sistemas de energia fotovoltaica, que utiliza a luz do sol, o Projeto Saúde e Alegria em parceria com a Mott Fundation está realizando uma experiência para a eletrificação de residências de moradores da Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns.

Diferentemente da atual matriz energética do país, pautada nos grandes projetos como as hidroelétricas, que além de gerarem grande impacto social e ambiental, não beneficiam diretamente as populações locais, esta experiência aponta soluções para fontes renováveis que podem chegar até às comunidades mais isoladas.

Na Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns – RESEX,  74 comunidades ainda não dispõe de redes de energia elétrica permanente. Embora o Programa Luz para Todos do Governo Federal tenha ampliado bastante o acesso para quase 99% do brasileiros, essas comunidades fazem parte dos cerca de 2 milhões que ainda não são atendidos, entre os quais a maioria está exatamente na Amazônia.

Nestas comunidades a energia é produzida a partir de geradores movidos à diesel, utilizados durante algumas horas por dia. Para o perfil de comunidades de baixa renda como estas, além de ser uma fonte poluente, o serviço se torna caro, pois depende da compra do combustível na cidade, encarecendo por causa dos custos de transporte.

A falta de uma fonte de energia segura é um dos principais entraves para o desenvolvimento dessas comunidades, que além de não contarem este direito básico para uso doméstico, não podem desenvolver atividades produtivas como o armazenamento de frutas, entre outras atividades que poderiam melhorar sua renda.

Sistema de abastecimento de água do CEFA com bombeamento com energia solar

Para superar esse desafio é que está sendo desenvolvido o Projeto Energias Renováveis para o Desenvolvimento Comunitário do Tapajós. A região é propícia para o uso desta tecnologia devido à alta incidência de raios solares na maior parte do ano.

Por isso, desde o ano 1998 o Projeto Saúde e Alegria já vem fazendo experiências com energia solar para uso em espaços comunitários, como telecentros, escolas, postos de saúde, barracões comunitários.

Já a partir de 2006, iniciou novas experiências. No CEFA – Centro Experimental Floresta Ativa, por exemplo, onde são feitas capacitações em tecnologias socioambientais, as instalações já funcionam com cerca de 80% de independência de gerador à diesel, com a implantação de um sistema de energia solar utilizado para iluminação, bombeamento de água e irrigação.

Outra experiência em andamento é a implantação de sistemas de abastecimento de água em 05 comunidades, já utilizando tecnologias mais modernas de bombeamento utilizando a energia solar.

Energia na casas dos comunitários

Residência na comunidade de Carão com kit de energia solar para uso doméstico

Esta é a primeira vez que estamos construindo um modelo para eletrificação das residências. A proposta é testar uma configuração básica de equipamentos, avaliar seus custos e funcionalidades e estabelecer parcerias com o poder público ou iniciativa privada para ampliar o benefício para mais comunidades.

A primeira beneficiada foi Carão, onde vivem 20 famílias. As casas foram equipadas com um kit que consegue gerar energia para iluminação e uso de eletrodomésticos durante 24 horas por dia.

Eletricistas do Sol

Além da implantação dos sistemas, o projeto vem capacitando os “eletricistas do sol”, pessoas das próprias comunidades que estão aprendendo a instalar e fazer a manutenção dos sistemas, já prevendo a ampliação da tecnologia para mais comunidades.

Formatura da primeira turma de Eletricistas do Sol, dia 28/07/2017

À esquerda, grande festa na inauguração da 1a etapa do projeto na comunidade de Carão, Resex Tapajós-Arapiuns, dia 28/07/2017. Foi um momento de grande alegria, quando a energia que vem do sol, iluminou a população do rio Tapajós. À direita, mulher usa o liquidificador pela primeira vez com a energia solar.

O projeto na mídia:

Centro experimental incentiva o uso de energia solar por comunidades ribeirinhas (Tv Tapajós)

Energia solar transforma vida de comunitários do Arapiuns (TV Tapajós)

 

Projetos Relacionados